Saltar para o conteúdo

Saiba quais tipos de fraude seu e-commerce pode sofrer



Junte-se à nossa lista de endereços

A Signifyd publica regularmente relatórios gratuitos repletos de insights de negócios, tendências de comércio e dados de nossa enorme Commerce Network. Só enviaremos e-mails quando tivermos algo significativo para compartilhar, não mais do que uma vez por semana. E, claro, você pode cancelar a inscrição a qualquer momento.

sidebar-ipad

Quem empreende no mundo virtual sabe que as tecnologias evoluem com tamanha rapidez. Entretanto, os fraudadores também investem em recursos para evoluir  e aprimorar suas técnicas nos mais diferentes tipos de fraude.

Por isso, para evitar problemas que podem causar danos aos clientes e manchar a imagem da marca para sempre, além de outros prejuízos financeiros imediatos ao e-commerce, é preciso estar atento aos golpes que existem e buscar soluções capazes de atuar tão ou mais rapidamente que a ação dos fraudadores.

Dados sobre hábitos do consumidor no e-commece, frente a uma fraude

 

Para compreender a dimensão do problema, a Statista — uma empresa alemã especializada em dados de mercado — estima que as perdas por fraudes no e-commerce mundial na área de pagamentos online foram na ordem de US $20 bilhões em 2021. Isso representa um aumento de mais de 14% se comparado ao ano de 2020.

É um prejuízo enorme para o comércio eletrônico. Com tamanha capacidade de impacto negativo, é hora de conhecer os tipos de fraude que seu e-commerce pode sofrer para poder se prevenir. 

 

 

Tipos de fraude em e-commerces

Existem diferentes tipos de fraude que podem afetar o seu e-commerce. Para ajudar na proteção do seu negócio, separamos algumas delas para que você fique atento e busque maneiras de evitar que sua loja virtual e seus clientes sejam prejudicados por esses golpes. Confira:

 

Fraude efetiva

Esse é um dos golpes que geram maior impacto negativo para o lojista e, geralmente, é cometido por quem já tem experiência com a fraude, podendo ser aplicado por um único indivíduo ou até mesmo por uma quadrilha.

Também chamada de fraude deliberada, podemos dizer que esse é um clássico entre os tipos de fraude. Ela ocorre quando um fraudador utiliza dados clonados ou roubados de terceiros – neste caso, a vítima – para realizar compras fraudulentas.

No entanto, quem geralmente tende a ficar com o prejuízo financeiro é a loja.  A mercadoria é direcionada para o endereço do fraudador e, muitas vezes, quando o titular do cartão percebe e contesta  a compra realizada em seu nome, solicitando o reembolso do valor, o produto já foi entregue.

 

Autofraude

Diferentemente da situação anterior, em que o titular do cartão não realizou a compra, nesse tipo de fraude o golpe é aplicado justamente pelo dono do cartão.

Aproveitando-se do direito garantido pelo Código do Consumidor, o usuário faz a compra normalmente, porém, dentro dos 180 dias, realiza a contestação junto ao banco alegando  que desconhece a compra ou entra em contato com a loja afirmando que não recebeu o produto.

Essa fraude também é comum e, como todos os dados fornecidos para a compra são verdadeiros, se torna muito difícil de ser detectada. 

 

Fraude amigável

Essa ação, também conhecida como fraude parental, acontece normalmente como resultado de uma confusão. Um dos cenários mais comuns da fraude amigável acontece quando alguma pessoa próxima ao titular do cartão utiliza seus dados para realizar compras sem autorização.

Sem saber que foi uma compra realizada por um familiar ou pessoa próxima, o titular realiza a contestação da compra, gerando prejuízo para a loja. 

É importante ressaltar que esse tipo de ato nem sempre é feito com a intenção de lesar o dono do cartão ou o estabelecimento. Muitas vezes é um filho que realiza uma compra sem que os pais saibam, por exemplo.

Outros cenários da fraude amigável incluem uma contestação porque o titular esqueceu que realizou aquela compra ou porque não reconheceu o nome da loja na fatura do cartão. 

 

Testador de cartões

Esse tipo de fraude acontece quando os criminosos têm acesso a informações de cartões de crédito de terceiros e desejam confirmar se os dados são verdadeiros, se os cartões estão aptos para uso e quais são seus limites.

Para isso, o fraudador realiza pequenas compras online, com valores baixos, para testar a validade da informação roubada ou clonada. Caso consiga realizar aquela compra pequena, utiliza a informação para fazer outras compras fraudulentas, de maior valor.  

Outra forma de realizar esse teste é se aproveitar de  sites que validam o cartão por meio da função zero auth, uma ferramenta que verifica a validade do cartão com débito de $0 – ou seja, sem cobrança efetiva.

Invasão de cadastro ou invasão de conta

 

Os vazamentos de dados acontecem com mais frequência do que se pode imaginar e em empresas de diferentes portes e giro de atuação. Dessa forma, informações pessoais de milhares de pessoas ficam expostas e favorecem a ação de criminosos.

Com esses dados em mãos, o fraudador realiza buscas para verificar se há outras contas cadastradas com o  endereço de e-mail vazado. Muitas das vezes esse trabalho fica ainda mais fácil, já que muitas pessoas usam a mesma senha em diferentes plataformas e cadastros.

O fraudador, então, invade essas contas para ter acesso à mais informações da vítima, como, por exemplo, os dados do cartão de crédito salvos naquela conta, ou pontos e prêmios de programas de fidelidade. Pronto: basta atualizar o endereço de entrega e fazer compras em nome da vítima.

 

Phishing

Entre os tipos de fraude, essa é outra que entra na lista das mais comuns. Nesse caso, o usuário é induzido ao erro e ele mesmo fornece suas informações para o fraudador. 

O golpe consiste em enviar ofertas usando ilegalmente o nome de empresas reais para enganar e roubar os dados pessoais. Os fraudadores recriam ambientes virtuais da marca utilizada – mensagens de e-mail, sites clonados, publicidade digital, redes sociais –  para que as vítimas não percebam que estão compartilhando informações com criminosos. 

Muitas das vezes, nem é preciso fornecer informações, já que um clique em uma mensagem fraudulenta pode colocar tudo a perder.

 

Estes são somente alguns dos tipos de fraude que afetam o comércio eletrônico. Infelizmente, um mercado que continua crescendo também atrai a atenção de fraudadores, que não medem esforços para se aproveitar ao máximo de brechas e vulnerabilidades. 

Manter-se atualizado e preparado para combater as tendências de fraude, em constante evolução, não é uma missão fácil. Mas é possível com parceiros especializados. 

Ao contar com informação e tecnologia capaz de traçar e antecipar tendências de fraude mundiais, a plataforma da Signifyd ajuda os e-commerces a focar no que realmente é importante: vender mais e crescer sem medo. 

 

Tudo que você precisa saber está no blog da Signifyd!

 

Para se manter informado sobre os riscos que podem afetar o seu e-commerce e tomar medidas antes que eles aconteçam, acompanhe os conteúdos do nosso blog. Lá tem muitos outros artigos para quem deseja saber mais sobre fraudes, tendências de mercado, hábitos do consumidor, detalhes sobre nossa inovadora plataforma e muito mais! 

 

Últimas postagens
Signifyd

Signifyd

A Signifyd fornece uma plataforma de proteção de e-commerce de ponta a ponta, que aproveita sua rede de comércio para maximizar a conversão, automatizar a experiência do cliente e eliminar fraudes e abuso de clientes para varejistas.